sábado, 21 de junho de 2008

Shadow 750


Ano 2007, 2800 Km rodados... Impecável! Av Moraes Salles, 901 centro de Campinas. Telefone (19)3237-1000

CBR 600


Na Moto Mil Moraes Salles, em Campinas! Em estado de 0Km. Confira você mesmo!

terça-feira, 3 de junho de 2008

Honda Shadow 2009 traz injeção contra poluição


Depois de acelerar a Honda Shadow 750 modelo 2009, ficamos na dúvida se estávamos realmente pilotando a nova versão da motocicleta custom da Honda equipada com injeção eletrônica de combustível. Não fossem as pedaleiras plataformas, a dupla saída de escape e as cores inéditas, diríamos que a nova Shadow é exatamente igual ao modelo 2008. Isso porque, apesar da alimentação mais eficiente, o desempenho da 2009 é muito semelhante ao da antecessora.De acordo com os números de desempenho declarados pela Honda, o motor de dois cilindros em V, comando simples no cabeçote (OHC), três válvulas por cilindro e refrigeração líquida da Shadow 2009 produz 45,5 cv a 5.500 rpm -- na versão anterior, o bicilíndrico de exatos 745 cm³ oferecia 45,8 cv na mesma rotação. Então, como uma moto com uma alimentação mais eficaz pode ser mais "fraca" que o antigo modelo, com carburadores?A "culpa" dessa pequena diferença é da terceira fase do Promot (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares), que passa a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2009. De acordo com o Promot, a partir desta data os veículos de duas rodas só poderão produzir 2 gramas de monóxido de carbono (CO) por quilômetro rodado. O ar agradece.Para atender ao Promot a Honda teve de instalar um catalisador maior e mais eficiente no escapamento da Shadow. Com isso, o desempenho da versão carburada ficaria muito prejudicado. "A injeção proporciona um melhor desempenho. No caso da Shadow, adotamos o sistema para compensar a perda que o catalisador proporcionaria", afirma Alfredo Guedes, engenheiro mecânico de formação que ocupa o cargo de analista de relações públicas da Honda.
Outra mudança do novo sistema de gerenciamento do motor foi o torque máximo de 6,5 kgfm, que agora chega nas 3.500 rpm -- na anterior, era atingido nas 3.000 rotações. Dado que não é uma boa notícia em se tratando de uma custom com motor em "V", que tem como uma das principais qualidades a força em baixas rotações.
ESTILO CLÁSSICO
Assim como a injeção não significou grandes mudanças no desempenho da Shadow 750, as novidades estéticas do modelo 2009 também são discretas. A mais perceptível delas é a saída dupla de escape em substituição à única e -- em nossa opinião -- exagerada ponteira do modelo anterior.Outra boa mudança foram as opções de cores.A Honda apostou em três estilos diferentes: manteve a sóbria cor preta, mas agora com detalhes em laranja e um novo logotipo; um azul metálico que traz exatamente o mesmo grafismo em flames da cor prata 2008; e uma nova versão mais clássica, na cor cinza metálico, com detalhes em preto e um emblema cromado. Apesar das novas cores, o estilo clássico dos pára-lamas, o painel sobre o tanque e a cara de custom "antiga" permaneceram neste modelo 2009.UMa novidade que veio completar o conjunto estradeiro são as pedaleiras plataforma, mais confortáveis e em harmonia com o restante da moto. Outro item que proporciona conforto é o novo guidão, montado sobre coxins, que reduz as vibrações, e posicionado mais à frente e mais alto que no modelo 2008. Finalizando as discretas mudanças estão as luzes de advertência na mesa de direção -- já que o painel, exatamente igual, ganhou uma nova luz de check-up da injeção.Resumindo: a Shadow 750 continua sendo uma boa opção de moto estradeira. Além do seu estilo clássico, manteve suas qualidades para longas viagens: boa ergonomia e muito conforto para o motociclista. A melhor novidade de todas, aliás, é o preço -- que continua o mesmo, apesar das melhorias tecnológicas. À venda a partir de junho, a Shadow 750 linha 2009 tem preço público de R$ 29.980 no Estado de São Paulo, sem óleo, frete e seguro. É o preço sugerido pela Honda, mas raramente praticado por sua rede de concessionárias, que cobram mais caro. (por Arthur Caldeira)

quarta-feira, 14 de maio de 2008